Prancha insuflável é solução para um transporte mais fácil

Romeu Cristóvão aperfeiçoou alternativa para pranchas com mais de três metros

Dentro do carro ou fora de carro? No tejadilho ou de lado, com dois indíviduos a agarrar?  Os desportos aquáticos sempre foram associados a paz de espírito, tranquilidade, mas não são raros os surfistas que chegam à praia já em stress, devido à dificuldade logística no transporte da prancha.

Imagine então um aficionado de stand-up paddle (SUP), cujas tábuas são ainda maiores, com mais de três metros... Foi a pensar na solução para este problema que Romeu Cristóvão resolveu avançar para a criação de algo diferente do que existia anteriormente.

O designer de Leiria, de 32 anos, não encontrou a última Coca-Cola do deserto quando   decidiu avançar com o projecto. As pranchas insufláveis já eram uma realidade. São, de  resto, bastante procuradas por quem está a começar noSUP ou por quer apenas dar uns passeios, sem grandes exigências ao nível da velocidade nem utilização em águas revoltas.

Aquilo que Romeu Cristóvão fez foi criar algo com “diferenças estruturais e de construção”, com “materiais mais Romeu Cristóvão com a sua menina, a Trendout Touring resistentes” e com “inovação nas laterais, o que faz com que se torne mais rígida”.

Miguel Sampaio

Foto: Marcelo Brites


Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos